Idoso com câncer na medula morre após esperar por transferência para unidade especializada no Rio

Mesmo com duas decisões judiciais, Gesuíno, de 67 anos, não foi transferido. Ele ficou internado quase um mês no Hospital Municipal Francisco da Silva Telles, que não tem especialista em hemoterapia.

A falta de leito nas unidades públicas de saúde fez mais uma vítima. O idoso Gesuíno, de 67 anos, morreu na manhã de quinta-feira (9) após ficar internado quase um mês no Hospital Municipal Francisco da Silva Telles, em Irajá, na Zona Norte, com câncer na medula.

O hospital não tem hematologista – especialista nesse tipo de tratamento – e o paciente esperava por uma vaga em outra unidade que tivesse a especialidade. mesmo com duas decisões judiciais determinando a transferência, a vaga não apareceu.

Desde o dia 10 de julho, Gesuíno está cadastrado no Sisreg, o sistema de regulação de vagas do município, em busca de uma vaga, mas o paciente continuou no mesmo hospital, sem o tratamento adequado.

“Ele fez tudo, e não conseguiu uma vaga. Fica lá naquela cama do jeito que ele está. Isso não é digno de ninguém, não. Quero a vaga do meu pai”, disse a filha do paciente na quinta-feira (9).