GM chuta cão e agride morador de rua que dormia em praça de SP

Ação foi flagrada por morador de prédio em São Vicente, no litoral paulista. Prefeitura disse que a corregedoria está investigando a conduta do guarda municipal.


Um guarda municipal de São Vicente, no litoral de São Paulo, foi flagrado agredindo um cachorro e um morador de rua em plena luz do dia. A agressão ocorreu na Praça 22 de Janeiro, no Centro, e foi registrada por uma testemunha que mora em um dos prédios ao redor do espaço.

Nas imagens obtidas pelo G1 na manhã desta sexta-feira (9), é possível observar um guarda municipal chegando próximo aos moradores de rua, que estão dormindo. Ele começa a acordá-los e, em seguida, chuta o cachorro que estava no local.

Depois, ainda com os moradores no chão, ele pisa na mão de um deles. Nessa hora, uma guarda municipal chega para dar apoio, enquanto o outro puxa o morador de rua com truculência, arrastando o rapaz para fora da área do vídeo.

Segundo o autor da filmagem, que preferiu não se identificar, não é a primeira vez que guardas municipais agem dessa forma na praça. “Na hora em que comecei a gravar o vídeo, já sabia que eles iriam fazer isso ou algo parecido. É desumano”, desabafa.

O munícipe, que reside na região há dez anos, afirma que os guardas tinham posturas menos agressivas, o que teria mudado quando o Tribunal de Justiça de São Paulo autorizou, por meio de habeas corpus, o uso de armas de fogo dentro e fora do trabalho, em 2016.

“Acho que isso sobe na cabeça deles. Independente de serem moradores de rua, são seres humanos, iguais a gente. Temos que ter amor ao próximo. Alguns deles [guardas] trabalham no canil. Como chutam um cachorro? Não é certo”, afirma.

Após publicar o vídeo nas redes sociais, o rapaz diz temer represálias. “Eles estão sempre em uma base móvel, na Praça 22. Meu sentimento é de indignação e revolta. Minha tia é policial militar e disse que é perigoso agir assim com uma arma na mão. Eu sei porque vejo o preparo dela, que é diferente. Agora, depois do vídeo, eles ficam olhando em direção à janela. Tenho medo”, relata.

Questionada sobre a situação, a Prefeitura de São Vicente, por meio da Guarda Civil Municipal, afirmou que o caso foi enviado para a corregedoria da GCM. Além disso, a administração reitera que preza pela política municipal de estabelecimento de vínculos entre as equipes de abordagem e as pessoas em situação de rua, sem qualquer forma de violência, e disponibiliza o telefone da Secretaria de Assistência Social para dúvidas, sugestões ou denúncias.